quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Aprendendo a Andar de Bicicleta.


Hoje numa conversa no café da manhã, veio o assunto de andar de patins, logo em seguida da bicicleta.
Que invenção magnífica! Eu não sei quem a inventou, só sei que deve ter sido a melhor coisa que tenha feito.

Então veio na memória de quando eu aprendi a andar de Bicicleta. Queria me sentir livre, queria pedalar, e andar sem ter que colocar os pés no chão.

O primeiro passo, tirar aquelas rodinhas atráz da bicicleta que serve de apoio. Foi uma fase bem complicada, pois foram vários tombos, e alguns arranhões. Nada muito grave.

Em um certo momento, veio o pensamento de desistência. Confeso ter desistido por algumas horas ou dias, pois todas aquelas tentativas estavam me frustrando.

Mas com algum esforço, resolvi tentar e tentar mais! Afinal de contas, aquele era meu objetivo. Andar de bicicleta com meus amigos na rua.

A primeira bicicleta era pequena, mas foi onde foi dado o primeiro passo.

Ahh, aquela bicicleta azul, que eu tanto desejava, que passava na frente da loja, e sonhava, e imaginava eu em cima dela, andando por todos os quarteirões do bairro.

Fui presenteado com Cross azul! Que alegria, o presente que eu tanto queria, estava alí, só pra mim! Mas ainda não sabia andar de bicicleta, ainda tinha receio de subir,e podendo dar com a cara no chão!

Por alguns dias ela ficou alí parada, esperando que eu tomasse coragem pra poder guiá-la, e sentir o vento no rosto.

Os pneus novinhos, a tinta brilhava no sol, as correntes bem apertadas... mas a insegurança que me envolvia era maior.

Eu tinha como objetivo, eu queria, era meu sonho, eu precisava!

Minha irmã, mais velha que eu, me motivava a andar de bicicleta. Me sentia seguro com ela, afinal de contas, ela andava até sem as mãos.

Numa manhã, com um sol escaldante, na rua da minha casa, chegou o momento de aprender a andar de bicicleta.

Sentei, e ouvi com clareza o que minha irmã dizia: Pedala, pedala, pedala, não para de pedalar, e olha sempre pra frente! Se alguém te chamar ou te distrair não olhe para os lados.

Segurando com uma mão no banco, ela começou a me empurrar. Aquelas palavras que havia me dito segundos atráz, começava a por em prática.

Aquela sensação que eu tanto esperava havia chegado. Os primeiros passos foram dados.

Eu aprendi a andar de bicicleta!! Eu podia andar pelas ruas livremente! Sempre lembrando das palavras da minha irmã.

* Na vida temos que pedalar, pedalar, pedalar muito, para que possamos chegar ao nosso objetivo, parece que foi ontem que eu aprendi a andar de bicicleta. Sinto que temos que aprender a andar de bicicleta todas as manhãs, quando levantamos de nossa cama.
Desafios, vontade, perseverança! O pensamento de disistir e as frustrações podem até vir, mas precisamos ser maiores que eles.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Vai ser sempre assim?

Que sai pensando em como foi a noite anterior,
Ou se fez algo de errado, que não vá sentir a dor depois!

É sempre após algumas horas, o celular aparece.
Dedos se desgastando, questionando, ansioso para que aquela hora volte.

O teclado do computador não te aguenta mais.
Discussão, egoísmo, preocupação, alegrias que não te satisfaz.

O Olho cansado de longas noites, olhando fotos, e lembrando de fatos.
A madrugada que chega do nada, logo se ausenta para começar e tentar novos resultados.

Os pensamentos mais estranhos, tentando fazer algo diferente;
O coração ofegante, nunca acompanha a razão , muito menos a mente.

Mesmo que faça esforço pra mudar, tem algo maior em tudo isso.
É a emoção, a comoção , que ultrapassa toda a razão, e acaba em tudo em contrito.

Mas será o Benedito? Esse coração está afoito ou aflito?
No mínimo deve ser um coração bandido! Que rouba a cena, ocupa sua consiência e não recupera as perdas de uma situação em delito.

Ou um coração policial, que te protege das piores ações, e daqueles que te querem fazer o mal.
E no fim acaba pensando que tudo isso foi banal.

Nada como o amanhã pra refletir sobre o dia de hoje. Ver os erros e acertos, e na mudança diária que não passa de experiências, e tomara que tudo isso não seja uma decadência.

Mesmo que nas situações pareça ser frágil, mas seja ágil.
Pense em algo prático, seja objetivo e atue com um gesto apático.

Não deixe que tudo seja assim. Faça diferente, pra que quando houver uma indireta ou uma atitude não desejada, você possa considerar como um FiM.







quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Ainda bem que podemos escolher!

“Deus nos dá familiares. Ainda bem que podemos escolher nossos amigos”

Imagine se quando a gente nascesse, viria conosco um pacote com algumas pessoas, e teríamos que compartilhar com essas pessoas tudo da nossa vida, e pelo resto dela.

Não seria muito fácil, afinal de contas, não seria uma escolha nossa.
Nesse " Pacote de Pessoas" seria basicamente nossos amigos.. Não seria muito interessante compartilhar a sua intimidade, as suas fraquezas ou seus melhores momentos, com pessoas desconhecidas, ou predestinadas.

Que bom, que podemos conhecer e acreditar em alguém
que podemos compartilhar tudo o que temos, tudo o que passamos, e tudo o que sentimos principalmente.

Amizade é mais que isso, é a escolha da nossa própria alma.
É como aceitar alguém pra fazer parte da sua história, do histórico de acontecimentos de sua vida.

Poder fazer a escolha de ter alguém do seu lado, é uma sensação de liberdade, feita com prazer, e podendo seguir os seus critérios.

Ninguém pode entrar na sua vida, sem ser convidado. Ninguém pode ser lembrado como uma pessoa especial, forçado.

Amizade não se escolhe brincando de roleta russa. Amizade se conquista com empatia, com dedicação e na mais transparência possível.

Ser amigo, não é estar em todos os lugares e em todos os momentos juntos, é algo mais profundo.. é como uma troca de energias muito grande, onde a sua alta estima eleva-se ao lembrar que é querido por alguém.

É como se existisse um buraco dentro de vc.. e fosse tapado com um concreto de coisas boas.

É como se o preto e branco da sua alma, fosse substituído por um arco-íris.
Como se num dia de inverno chuvoso, viesse uma fresta de luz, que iluminasse o seu interior.

É alguém que podemos confiar em contar aquele segredo mais íntimo, sem se preocupar..
Ou se explicar e aconselhar só em um olhar!

Amizade é algo interno, é como se duas ou mais pessoas vivessem em constante harmonia.

“a vida de todo mundo é como uma longa calçada. Algumas são bem pavimentadas, outras (…) têm fendas, cascas de banana e bitucas de cigarro”.

* Ainda bem que podemos escolher nossos amigos, para que essa longa calçada, seja seguida acompanhada por pessoas que confiamos!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010



Um caráter invejável, beijo doce, delicado
Um abraço apertado, e uma personalidade inegável.

Poucos minutos de silêncio, em momentos inusitado.
Algumas horas de curiosidades, ansiedades, misturadas com prazer.

Teorias das mais complexas, se envolviam em práticas desconhecidas.
Sentimentos dos mais ousados, aflorando os poucos explorados.

Movimentos suaves, expressando afeto, carinho.
Um pouco selvático, quebrando o gelo, e estimulando a adrenalina.

Uma pitada de preocupação, que se desmanchava numa porção de descontração.
Um ponto de interrogação, que desaparecia em um olhar, ou numa pequena afirmação.

A chuva e o frio não importava mais, a música que seria o entretenimento, em instantes ficou entediante.

Braços e pés enrolavam com frequência, calafrios e suor, sentia em sequência.
O que parecia ter acontecido em minutos, horas haviam corrido no relógio.

Com o barulho do chuveiro, imaginações borbulhavam como uma erupção.
O som do mar, acalmava a ansiedade, e pensamentos de um futuro imprevisto.


... minha cama fria, vazia, sem a sua presença!
Um futuro incerto, com assuntos diretos que irá levar a algum resultado!